Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 19 de Fevereiro de 2007, aworldtowinns.co.uk

Comunicado à Imprensa da 6ª Conferência Regional de Partidos e Organizações da Ásia do Sul Unidas no Movimento Revolucionário Internacionalista

Recebemos o seguinte comunicado à imprensa:

A 6ª Conferência Regional de Partidos e Organizações Maoistas da Ásia do Sul Unidas no Movimento Revolucionário Internacionalista teve lugar recentemente numa situação em que, tanto na Ásia do Sul como no resto do mundo, aumentam grandemente tanto as oportunidades como os desafios que as forças maoistas enfrentam no contexto da nova vaga emergente da revolução mundial e da ofensiva contra-revolucionária liderada pelo imperialismo norte-americano, o principal inimigo dos povos do mundo. Isto pode ser visto sobretudo no Nepal, onde a revolução de nova democracia liderada pelo Partido Comunista do Nepal (Maoista) entrou num patamar decisivo. Depois de prestar homenagem aos mártires revolucionários, mencionando em particular o camarada Karam do Partido Comunista da Índia (Maoista) que no passado fora um participante activo nas anteriores Conferências Regionais, a Conferência dedicou um bom período de tempo à discussão da situação no Nepal. Reiterando a solidariedade internacionalista das forças maoistas dessa região para com o PCN (Maoista), condenou a descarada intervenção e as conspirações do imperialismo norte-americano que se esforça por preservar a velha sociedade reaccionária e o seu estado, registou o papel tortuoso do expansionismo indiano e expôs a propaganda reaccionária e revisionista que tenta confundir as massas revolucionárias e desviá-las do caminho da revolução. A Conferência reafirmou a posição maoista de que um compromisso táctico entre um partido maoista e as forças reaccionárias de um país não condiciona as forças revolucionárias dos outros países a seguirem-no e que devem continuar com as suas tarefas revolucionárias. Apelou a uma vasta campanha de apoio à revolução no Nepal e exigiu que os imperialistas e todos os reaccionários tirem as suas mãos do Nepal.

A situação objectiva do mundo é favorável à revolução. As Guerras Populares levadas a cabo por partidos maoistas em diversos países continuam a avançar, enquanto no Nepal avançou até próximo da tomada do poder. As massas estão a entrar em maior número na luta e na resistência em todo o mundo. No Iraque e no Afeganistão, as forças de ocupação lideradas pelo imperialismo norte-americano e os governos fantoches que ele apoia estão a ser severamente sangradas e a forçar os EUA a reverem as suas políticas. Mas, na ausência de forças maoistas, as massas estão a ser lideradas por fundamentalistas islâmicos reaccionários. Os agressores sionistas apoiados pelos EUA foram forçados a retirar-se do Líbano face a uma tenaz resistência. Também nos países imperialistas, incluindo os EUA, continua a luta e a mobilização contra a guerra e a globalização, enquanto as revoltas da juventude e dos estudantes em França estremeceram toda a Europa. Na Ásia do Sul, além das lutas armadas lideradas pelos maoistas e pelas forças de libertação nacional, as lutas de diversos sectores das massas contra a globalização imperialista e a intensificação da exploração e da opressão pelo imperialismo e pelas classes dominantes reaccionárias aumentou enormemente o potencial para tornar os países dessa região em campos flamejantes de Guerras Populares. Porém, a dura realidade continua a ser que as forças subjectivas da revolução ainda estão atrasadas. A Conferência Regional discutiu a situação do movimento comunista internacional, centrando-se na necessidade de o fortalecer, tanto a nível teórico como prático. Neste contexto, um importante tópico de discussão da Conferência Regional foi o aprofundamento da compreensão do Marxismo-Leninismo-Maoismo (MLM) e do seu desenvolvimento através de uma correcta utilização da dialéctica da teoria e da prática, para dar aos maoistas uma maior capacidade de cumprimento da tarefa de fazerem a revolução no mundo de hoje.

A Conferência Regional, fortalecida pela participação do Partido Comunista do Afeganistão (Maoista) e do Partido Comunista do Butão (MLM), concluiu com a firme determinação expressa por todos os partidos participantes de se empenharem na assumpção das suas responsabilidades revolucionárias e de fortalecerem ainda mais a capacidade do Movimento Revolucionário Internacionalista para cumprir o seu papel como centro embrionário das forças maoistas de todo o mundo.

Janeiro de 2007

Bangladesher Samyobadi Dal (Marxista-Leninista), BSD(ML)
Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista-Maoista), PCI(MLM)
Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista) Naxalbari, PCI(ML) Naxalbari
Partido Comunista do Afeganistão (Maoista), PCA(M)
Partido Comunista do Butão (Marxista-Leninista-Maoista), PCB(MLM)
Partido Comunista do Nepal (Maoista), PCN(M)
Partido Purba Banglar Sarbohara (CC), PBSP(CC)