Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 18 de Julho de 2011, aworldtowinns.co.uk

Recebemos de um leitor o seguinte “eventual trabalho de ficção”.

Quantas vezes irão eles violar a Sra. Diallo?

— Na entrevista de imigração e asilo

O que iria ela dizer,

que eles assentaram no país dela e que ela foi esmagada?

A última coisa com que eles se preocupavam era com ela.

Diz-lhes o que eles querem ouvir:

Ooh, você é tão grande e forte e bom,

todas as miúdas querem a tua liberdade

para limparem a tua merda.

— No hotel de alta segurança

Todos sabemos o que não aconteceu:

Olhando para a nudez da velha barata

a jovem não caiu de desejo.

Seja o que for que aconteceu, foi grotescamente desigual.

Não foi a primeira vez que ele violou a soberania de alguém.

Tal como as corpulentas potências cujo poder ele encarnava,

ele floresceu em trocas desiguais.

— Filosofa aprés-violação (Paris)

Onde está o mal?

Apenas um pouco de “levantar a saia da empregada”.

Os rapazes vão ser violadores,

quem os pode culpar?

— Entrando na diversão (Nova Iorque)

O procurador diz que ela mentiu.

A imprensa disse que ela era uma pêga.

Eles despojaram-na da sua honra.

Aquela mulher, não será ela um alvo aceitável?

— Qual é a arma mais poderosa de um violador?

“Submete-te e cala-te”,

ou serás violada uma vez atrás de outra

pela polícia,

pela imprensa,

políticos,

pretensa justiça,

os ideólogos da violação.