Índia: Editor da “People's March” em greve da fome

A 19 de Dezembro, a polícia do estado indiano do Querala, às ordens do Comissário da Polícia de Ernakulum, invadiu a casa do camarada Govindan Kutty, editor da revista People's March [Marcha do Povo]. A polícia confiscou todos os seus livros e documentos, bem como o disco rígido do seu computador, e prendeu-o a pretexto de falsas acusações.

A polícia intimidou e interrogou o camarada Govindan Kutty durante um dia inteiro, tendo-o depois mantido detido judicialmente. O camarada tem estado desde então em greve da fome para exigir a sua libertação incondicional. Devido à sua idade, a sua vida corre um sério risco, requerendo a nossa total solidariedade.

A People's March (peoplesmarch.googlepages.com) é uma publicação revolucionária mensal editada há 7 anos que apoia os movimentos revolucionários, nomeadamente os movimentos maoistas na Índia e no Nepal. A sua edição é perfeitamente legal na Índia, estando registada pelo Governo da Índia. A prisão do seu editor insere-se numa campanha do Governo indiano para a limitação da liberdade de expressão. Apesar de possuir um gigantesco poder militar e policial, a chamada maior democracia do mundo sente-se ameaçada por uma pequena publicação.

Exigimos a libertação imediata e sem condições do camarada Govindan Kutty e a garantia da autorização de publicação sem restrições da People's March.

28 Dezembro 2007