Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 6 de abril de 2019, aworldtowinns.co.uk

Contingente revolucionário na manifestação do Dia Internacional da Mulher em Berlim

Aspecto da manifestação do Dia Internacional da Mulher em Berlim
Aspecto da manifestação do Dia Internacional da Mulher em Berlim

Um estimulante concerto internacionalista de solidariedade com a luta das mulheres iranianas contra o uso forçado do hijab (lenço islâmico para a cabeça) teve lugar em Berlim a 9 de março, organizado por apoiantes do novo comunismo de Bob Avakian e pelo Osyan, um coletivo clandestino de mulheres no Irão. No dia anterior, Dia Internacional da Mulher, recentemente declarado feriado oficial em Berlim, os organizadores lideraram um contingente revolucionário muito multinacional e multilingue, participando assim num novo desenvolvimento, dados os acontecimentos do passado ocorridos localmente no Dia Internacional da Mulher, uma manifestação apaixonante de cerca de 10 mil mulheres e homens, num contexto de crescimento do fascismo no país. As atuais ofensivas ideológicas, jurídicas e físicas contra as mulheres e contra os imigrantes são duas lanças de um impulso para tornar o país mais “alemão”, forçando as “nossas” mulheres a regressarem ao papel tradicional delas como “donas de casa” e produtoras de bebés e aterrorizando ou simplesmente livrando-se daqueles que forem definidos como “estrangeiros”.

“Abaixo o Imperialismo, Abaixo a República Islâmica do Irão, Lutar por Uma Nova República Socialista no Irão”
“Abaixo o Imperialismo, Abaixo a República Islâmica do Irão, Lutar por Uma Nova República Socialista no Irão”

Os três principais panos erguidos pelo contingente, “Apoiamos a Revolta das Mulheres Iranianas contra o Uso Forçado do Hijab”, “Abaixo o Imperialismo, Abaixo a República Islâmica do Irão, Lutar por Uma Nova República Socialista no Irão”, assinados pelo Partido Comunista do Irão (Marxista-Leninista-Maoista), e “A Humanidade Precisa da Revolução e do Novo Comunismo!” (com uma imagem de Bob Avakian), juntamente com a agitação feita por um caminhão de som, desencadeou polémica, interesse e discussões entre os participantes em geral da manifestação, predominantemente estudantes do ensino secundário e universitário e jovens profissionais da saúde e de outros setores, muitos dos quais eram recém-chegados às ações de rua. Nas semanas anteriores, os organizadores tinham feito agitação por toda a cidade, em centros de refugiados, reuniões feministas e outros locais, para divulgar o novo comunismo.

“A Humanidade Precisa da Revolução e do Novo Comunismo!”
“A Humanidade Precisa da Revolução e do Novo Comunismo!”

O concerto inclui uma atuação de Shakib Mosadeg, vocalista de uma banda rock popular no Afeganistão, que em 2010 foi interrompido a meio de um concerto e forçado a fugir para o exílio. Desde então, os vídeos dele no YouTube e os espetáculos ao vivo na Europa fizeram dele um favorito entre os jovens que falam farsi [a língua persa] e outras pessoas no Irão, no Afeganistão e noutros países. Além de retomar hinos revolucionários internacionais tradicionais como o “Bella Ciao”, que agora desfruta de um ressurgimento entre os jovens rebeldes na Europa, cantou as suas próprias canções, de uma perspetiva amplamente humanista, que têm como alvo a guerra imperialista e todas as formas de injustiça e opressão, como a destruição do país dele pelas potências ocidentais (entre as quais os EUA e a Alemanha), o tormento dos milhões de refugiados forçados a fugir das suas terras e a opressão das mulheres em todo o mundo. O concerto também incluiu cerca de meia hora de trechos de Stepping into the Future [Avançando para o Futuro], o filme do evento cultural que marcou o lançamento do livro BAsics [O BÁsico], de Bob Avakian. Também houve mesas de literatura que entre outras coisas divulgavam o livro O Novo Comunismo, de Bob Avakian, em farsi, inglês e espanhol, bem como a recém-publicada edição em turco.