Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 2 de Maio de 2011, aworldtowinns.co.uk

Índia: Dirigentes do PCI (Maoista) presos —
“Que todos os camaradas presos sejam imediatamente apresentados em tribunal!”

O seguinte texto é um comunicado à imprensa, datado de 1 de Maio e emitido por Abhay, porta-voz do Comité Central do Partido Comunista da Índia (Maoista), bannedthought.net/India/CPI-Maoist-Docs/Statements-2011/CondemnArrests-110501.pdf. Há uma urgência particular na exigência de que todos os presos sejam imediatamente apresentados em tribunal, dado que muitos outros revolucionários indianos foram assassinados depois de terem sido capturados, e as autoridades alegaram que eles foram mortos em “recontros” armados. Foi isso que aconteceu em Julho de 2010, quando as forças de segurança detiveram e assassinaram o dirigente do PCI (Maoista), Camarada Azad (Cherukuri Rajkumar), e o jornalista Hemchandra Pandey no estado indiano do Andhra Pradesh, como parte da Operação Caçada Verde, uma ofensiva militar desencadeada pelo governo central contra as zonas da selva onde a revolução liderada pelos maoistas é forte entre os povos tribais.

Condenemos as prisões de membros do Comité Central do PCI (Maoista) e de outros camaradas pelas agências centrais de informações e pelo APSIB!

Que todos os camaradas presos sejam imediatamente apresentados em tribunal!

As agências centrais de informações e os infames facínoras da APSIB prenderam três dos nossos camaradas do Comité Central [CC] — V. Subramanyam, Vijay Kumar Arya e Punendu Shekhar Mukherjee — juntamente com alguns outros camaradas e simpatizantes, no distrito de Katihar, estado do Bihar, segundo informações precisas. Na realidade, o camarada Subramanyam estava sob vigilância da APSIB há muitos meses. Eles tinham mesmo planeado assassiná-lo. Mas, devido à denúncia da sua conspiração perante o povo, não o conseguiram matar. Há muito tempo que os assassinos autorizados da APSIB e de outras agências secretas indianas treinadas pela CIA e pela Mossad têm visado os líderes da Revolução indiana como parte da sua “Guerra Contra o Povo”. Dirigentes amados pelo povo indiano como Azad, Patel Sudhakar, Shakhamuri Apparao, Prasad e BK foram assassinados por esses homicidas às ordens da clique governante de Sonia-Manmohan-Chidambaram [respectivamente, a líder do Partido do Congresso, no governo, o primeiro-ministro e o ministro do Interior], de mãos dadas com os seus amos imperialistas. Alguns outros líderes e activistas foram presos e postos nos calabouços de várias prisões.

As classes dominantes indianas têm, por um lado, vendido a nação às multinacionais e às grandes empresas, assinando com elas centenas de MoUs [acordos] e, por outro lado, têm tentado esmagar o movimento revolucionário para garantirem que não há nenhuma resistência às suas políticas contra o povo e pró-imperialistas. Como o nosso partido está na vanguarda das lutas de massas contra este sistema corrupto, opressor e explorador, as classes dominantes indianas estão a usar todos os instrumentos repressivos à sua disposição para deixarem as massas indianas sem liderança.

O CC do PCI (Maoista) condena as prisões ilegais e a tortura mental e física impostas a estes camaradas. Apelamos aos operários, camponeses, estudantes, intelectuais e a todos os sectores oprimidos do nosso país a condenarem a injusta guerra das classes dominantes contra o povo e a mobilizarem-se para fazerem avançar a Revolução de Nova Democracia na Índia, que eliminará o feudalismo, a burguesia compradora/burocrata e o imperialismo.