Da edição online, datada de 13 de abril de 2018, do jornal Revolution/Revolución, voz do Partido Comunista Revolucionário, EUA (http://revcom.us/a/538/attack-on-syria-a-crime-of-imperialist-monsters-en.html em inglês ou http://revcom.us/a/538/ataque-a-siria-es-un-crimen-de-monstruos-imperialistas-es.html em castelhano).

EUA, Grã-Bretanha e França atacam a Síria:
ISTO É um crime de monstros imperialistas!

Hoje à noite, os EUA, juntamente com forças britânicas e francesas, iniciaram um bombardeamento e um ataque com mísseis a instalações sírias que o regime de Trump e Pence alega estarem associadas à produção de armas químicas. No momento em que escrevemos não é conhecido o número de sírios mortos ou feridos, mas há notícias de última hora de que pelo menos um dos ataques, a um instituto de ciência em Damasco, atingiu uma zona densamente povoada.

Este ataque é um ultrajante e descarado ato de agressão imperialista. É um crime de guerra. E é uma escalada extremamente perigosa da guerra síria que tem o potencial para se transformar numa conflagração regional, e mesmo global.

Os EUA e os seus aliados imperialistas não têm nenhum direito a se empertigarem pelo mundo fora, como chefes globais da Máfia, a ditarem e imporem pela força os interesses e agendas reacionários deles ao resto do mundo.

TODOS devemos tomar a palavra contra a agressão e os jogos de guerra dos EUA e devemos juntar-nos aos protestos que irão ocorrer este fim de semana em todo o país. Clica AQUI para saberes que protestos estão a ser organizado pela RefuseFascism.org.

Quem são os verdadeiros monstros?

Este ataque ocorre uma semana depois dos relatos, a 7 de abril, de um aparente ataque com armas químicas em Douma, nos arredores da capital síria, Damasco, que supostamente matou dezenas de pessoas e feriu algumas centenas mais. O regime de Trump e Pence culpou imediatamente o regime reacionário de Bashar al-Assad e ameaçou retaliar.

Trump e o Secretário norte-americano da Defesa, “Cão Raivoso” Mattis, foram à televisão justificar a agressão deles em nome do apoio às convenções internacionais e da dissuasão do uso de armas químicas.

Desde quando é que os EUA e outros imperialistas se importaram com as leis e convenções internacionais ou com a abolição de armas químicas? Quando forneceram armas químicas a Saddam Hussein nos anos 1980? Quando violaram flagrantemente as convenções contra a tortura depois do 11 de Setembro? Quando violaram o direito internacional para lançarem uma guerra de agressão contra o Iraque em 2003 com base em mentiras sobre armas de destruição massiva?

Hoje à noite, Trump disse que os ataques químicos reportados na Síria não são “atos de um homem. São, em vez disso, crimes de um monstro.” Assad é um monstro. Ele e os patronos russos e iranianos dele são carniceiros que cometeram atrocidades contra o povo sírio e todos eles contribuíram para o atordoante e criminoso número de vítimas dos 7 anos da reacionária guerra síria.

Mas os crimes e a monstruosidade de Assad empalidecem em comparação – na realidade não há nenhuma comparação possível – com os monstros imperialistas, os EUA, a Grã-Bretanha e a França, que durante o último século criaram, exploraram, saquearam e levaram a cabo atrocidade sangrenta atrás de atrocidade sangrenta contra os povos do Médio Oriente, incluindo ajudando a alimentar o banho reacionário de sangue na Síria. E isto continua até aos dias de hoje! Enquanto Trump berra sobre crimes e monstros, os EUA estão a apoiar a guerra genocida da Arábia Saudita no Iémen e a apoiar Israel que dispara contra manifestantes palestinos desarmados – como hoje fez uma vez mais.

E Assad não tem comparação com o monstro na Casa Branca que apela abertamente ao restabelecimento da tortura, ao assassinato das famílias dos suspeitos “terroristas”, ao desencadear de uma guerra contra o Irão e a um holocausto nuclear na Coreia do Norte e que constitui uma ameaça a todo o planeta e ao futuro da humanidade!

O ataque desta noite foi levado a cabo para defender os interesses imperialistas destes monstros e para reafirmar a cada vez mais contestada dominação deles no Médio Oriente – e não para acabar com o flagelo da guerra e das armas de destruição massiva nem para ajudar o povo sírio.

Esta situação é extremamente perigosa. O que significa Trump ter declarado que isto é uma resposta continuada e prolongada? Que acontecerá se os ataques à Síria encabeçados pelos EUA conduzirem a um confronto direto entre os EUA e seus aliados, entre os quais Israel, e a Rússia e/ou o Irão? Isto tem o potencial para se descontrolar e se transformar num cataclismo regional ou global que pode acabar por matar muitos milhares, e mesmo milhões, de pessoas!

O regime de Trump e Pence também irá, sem dúvida nenhuma, usar este ataque para solidificar o seu controlo do poder e fazer avançar os seus esforços para consolidar o fascismo.

Tudo isto sublinha a urgência de assumirmos e divulgarmos o apelo e o plano da RefuseFascism.org para que nos organizemos para expulsar do poder o regime fascista de Trump e Pence.

Não às guerras pelo império, aos exércitos de ocupação e aos crimes contra a humanidade!

O REGIME DE TRUMP E PENCE TEM DE SE IR EMBORA!

Em nome da humanidade, RECUSAMO-NOS a aceitar uns Estados Unidos fascistas!