Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 31 de Janeiro de 2005, aworldtowinns.co.uk

Preocupação crescente com os maoistas nepaleses em prisões indianas

Tem aumentado a preocupação com o bem-estar de dois líderes do Partido Comunista do Nepal (Maoista) detidos na Índia.

Mohan Baidhya (Camarada Kiran) foi preso o ano passado quando estava a ser tratado às cataratas no estado indiano do Bengala Ocidental. O Supremo Tribunal daquele estado declarou preso político esse líder veterano do Partido e escritor sobre filosofia e artes. Contudo, as autoridades locais ignoraram essa decisão do tribunal e recusaram-se a conceder-lhe as instalações apropriadas a esse estatuto. Ele tem sido mantido numa cela isolada, sendo-lhe negado contacto com outros prisioneiros. Há relatos de que não tem tido acesso ao tratamento médico requerido para a asma, as úlceras e as doenças das articulações, veias e olhos. Sabe-se que apenas lhe é permitido ler um jornal que é censurado; o seu rádio foi-lhe retirado; e negaram-lhe um caderno e uma caneta. Numa visita da sua esposa no mês passado, ele disse-lhe que a sua cela é fria e que em vez de comida normal lhe está a ser dado sobretudo pão duro.

Sabe-se que Chandra Prakash Gajurel (Camarada Guarav), encarcerado em Chennai (Madras) desde Agosto de 2003 por uma infracção relacionada com o passaporte, está a ser tratado de forma semelhante.

As autoridades indianas mantêm presos na cidade de Patna outros 11 líderes e militantes maoistas nepaleses. A polícia indiana raptou Matrika Prasad Yadav e Suresh Ale Magar, altos quadros do Partido, em Nova Deli em Fevereiro de 2004 e entregou-os ilegalmente ao Exército Real do Nepal.

A 20 de Janeiro, a Índia e o Nepal assinaram um tratado de extradição que disseram explicitamente ter como alvo a guerra popular maoista que ameaça derrubar a monarquia nepalesa apoiada pelos EUA e pela Índia e os maoistas envolvidos na luta armada revolucionária, incluindo na Índia. Isto torna ainda mais grave e urgente a preocupação com os camaradas nepaleses em mãos indianas.