Peru: Juiz decide contra o isolamento do Camarada Gonzalo
14 de Junho de 2004. Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar.

Um juiz de Lima decidiu que o Camarada Gonzalo (o pseudónimo de Abimael Guzmán) deveria ter todos os direitos de outros prisioneiros, incluindo visitas sem quaisquer restrições ou condições especiais. O líder do Partido Comunista do Peru (PCP) tinha iniciado uma greve de fome de 35 dias contra novas regras que o excluíam de visitas com contacto directo, incluindo com o seu advogado. O juiz aceitou o pedido de habeas corpus do Camarada Gonzalo e decidiu que essas regras são inconstitucionais. Além disso, de acordo com os relatos dos jornais, o juiz afirmou que as condições de isolamento a que ele está sujeito também são inconstitucionais e indicou que não havia nenhuma base legal para que o Camarada Gonzalo fosse mantido num calabouço subterrâneo especial numa base da Marinha, em vez de numa prisão civil comum, onde fosse tratado como qualquer outro preso. Até agora, as autoridades navais recusaram cumprir a decisão do juiz, alegando um possível recurso. O actual advogado do líder do PCP, Manuel Fajardo, entregou um pedido ao mesmo juiz a pedir-lhe que ordene o cumprimento imediato da decisão. O Camarada Gonzalo tem sido mantido em isolamento relativo desde 1992, desde que foi condenado por “traição” por dirigir a guerra popular iniciada em 1980. Essa condenação foi declarada inconstitucional e ele está à espera de um novo julgamento, juntamente com outros dirigentes e membros do PCP.

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese