Partido Comunista do Nepal (Maoista)

Comité Central

Comunicado à Imprensa

Recentemente, a Comissão Política do Partido Comunista do Nepal (Maoista) - representante glorioso do proletariado nepalês - realizou com êxito uma reunião sob a direcção do seu Presidente Camarada Prachanda. De modo a divulgar o resumo das decisões principais daquela importante reunião que teve lugar depois de prestar tributo de silêncio aos imortais mártires, conhecidos e desconhecidos, dentro e fora do país, foi emitido este comunicado à imprensa.

  1. Foi feito um relatório pormenorizado por todos os participantes, sobre a situação desenvolvida como resultado do fim, pelo velho estado, das possibilidades de uma saída política pacífica e da relevância do cessar-fogo. Resumindo a partir dos relatórios globais, foi retirada pelo Camarada Prachanda a conclusão de que a fase inicial do novo plano estratégico do partido tinha sido completada com sucesso. Como consequência das acções militares a nível nacional do novo plano estratégico, surge claramente dos relatórios um quadro em que o Exército Real foi desintegrado; que matou pessoas desarmadas para esconder a sua derrota; que escondeu centenas dos seus próprios soldados mortos ou feridos e que conduziu uma campanha de falsa propaganda. Do lado do Exército Popular de Libertação, houve várias vezes menos perdas que as propagadas pelo velho estado noutras acções, excepto em Kushum. Entretanto, também foi noticiado que o Exército Popular de Libertação apreendera 100 armas, incluindo M-16, LMG, SLR, 3-0-3 e milhares de munições.

  2. Um documento especial complementar do novo plano estratégico foi proposto na reunião pelo Presidente Prachanda. Adoptado por unanimidade após discussão, um resumo do documento é apresentado de seguida:

A. Tendo analisado brevemente a situação nacional e internacional, o documento concluiu que as decisões políticas e militares adoptadas pelo anterior comité central tinham sido científicas e pertinentes. O documento concluiu que, embora alargasse a implementação do novo plano estratégico à capital e a grandes e pequenas cidades, e inclusive as áreas planas de Terai, aumentou a capacidade de ataque do Exército Popular de Libertação e, em consequência, o velho estado fora objectivamente expulso de todas as zonas rurais das regiões montanhosas e de Terai. A existência do velho estado nas zonas rurais está limitada às actividade terroristas do chamado Exército Real. Consequentemente, analisando a realidade de que todas as áreas rurais ficaram sob a liderança ou controlo do Partido e algumas debilidades, o documento acentuou a necessidade do desenvolvimento da forma das acções militares nas áreas rurais no contexto da alteração da situação e continuar o poder político do povo, formal e legalmente.

De acordo com esta análise, o documento adoptou a linha que o partido daqui em diante terminará as sabotagens contra os edifícios dos Comités de Desenvolvimento das Aldeias do velho estado, quartéis militares vazios, esquadras da polícia, torres de telecomunicações, e passará a assumir a sua responsabilidade, a protegê-los e a desenvolvê-los, e a mobilizá-los no interesse das massas populares. O documento declara a política de castigar os espiões do velho estado seguindo uma legalidade democrática em vez de os castigar directamente por unidades militares. O documento declara a política de não tomar nenhuma acção contra os escalões mais baixos do exército e da polícia do velho estado, quando estiverem em casa de férias, mas antes convencê-los a deixar o chamado serviço e encorajá-los a tomarem o lado do povo, e o documento assegura a protecção da sua família. Do mesmo modo, tendo confiantemente implementado a política do partido de, nas áreas rurais, não entrar em acção contra nenhum membro, quadro ou líder de qualquer partido político na base das suas convicções políticas, o partido adoptou a política de castigo para os que façam espionagem em nome do velho estado sob protecção de qualquer Partido, usando o processo de legalidade democrática ou dando-lhes a hipótese de rectificação à pessoa ou partido em causa. Em relação à recolha de fundos, serão pedidos donativos voluntários às massas populares, enquanto que aos grandes comerciantes, aos proprietários industriais, aos empresários de transportes, e a certas personalidades e instituições serão aplicadas algumas taxas; e o documento especifica que as ONG e ONGI, excepto as directamente ligadas ao imperialismo dos EUA, não serão atacadas e serão autorizadas a trabalhar em colaboração com o poder político local.

B. O documento faz um apelo formal a todos os países do mundo, incluindo a Organização das Nações Unidas, e toma iniciativas com esse objectivo em relação à China e à Índia, para não apoiarem o velho regime feudal que degenerou completamente em fascismo militar e perdeu a confiança do povo, e a apoiarem o nosso Partido e o novo poder político, como representante da confiança de todas as massas que se têm dedicado a implementar a democracia no país e a tornar as massas populares nepalesas soberanas no verdadeiro sentido.

C. O documento enfatiza a organização de um programa concreto e do processo de implementação do poder popular em todo o país nas questões económicas, políticas, sociais e culturais.

  1. A reunião decidiu declarar o governo popular a nível nacional e regional nas áreas rurais, de acordo com a política declarada pelo partido.

  2. De modo a trazer regularmente os factos e a verdade ante o povo contra a deliberadamente falsa propaganda do velho estado, o Camarada Krishna Bahadur Mahara foi nomeado porta-voz central do Partido.

  3. A reunião tomou a decisão especial de elevar a um novo nível a preparação da ofensiva contra o inimigo, desenvolvendo plano militares e de acções de massas específicos.

No final, o Presidente terminou a reunião com uma breve alocução sobre a importância de longo alcance das decisões políticas e militares e sobre a inevitável vitória da Guerra Popular.

(Assinado por Prachanda)

20 de Outubro de 2003