Um Apelo Urgente Para

Lutar pela Liberdade do Camarada Gaurav!

A todos os internacionalistas revolucionários, anti-imperialistas e progressistas do mundo:

Hoje, no ventre deste vil mundo dominado pelo imperialismo, uma nova sociedade está a nascer nos Himalaias, nas zonas rurais do Nepal. Nesta nova sociedade, os mais pobres entre os mais pobres à face da Terra conquistam o poder político e começam a decidir por si próprios o que deve acontecer ao fruto da sua terra e do seu trabalho. A Guerra Popular que deu luz a este milagre está a ser dirigida pelo Partido Comunista do Nepal (Maoista), um membro participante do Movimento Revolucionário Internacionalista. O velho estado feudal do Nepal, que é dependente das potências imperialistas, em especial dos imperialistas dos EUA, e que é protegido pelo estado opressor e expansionista da Índia, está a resistir à sua destruição e a atacar este novo estado popular. Os líderes desta luta são alvo especial dos ataque do reino feudal e reaccionário do Nepal e dos seus guardiães, e recentemente o estado da Índia capturou um proeminente líder da luta no Nepal, o camarada Gaurav.

O camarada Gaurav, membro da Comissão Política do PCN(M), foi detido pelas autoridades indianas a 20 de Agosto de 2003, quando tentava deixar aquele país e viajar para a Europa para levar a cabo as suas tarefas revolucionárias. Este é um sério acto de agressão contra o povo do Nepal e contra todo o nosso Movimento. Até este momento, as autoridades indianas acusaram-no da posse de passaporte falso. Este tipo de acusação, mesmo se verdadeira, é normalmente encarado muito ligeiramente e resolvido em menos de 24 horas. Neste caso, porém, as autoridades indianas sabem que têm um proeminente líder revolucionário nas suas mãos e arrastaram o caso durante semanas, sem o libertar. O reino reaccionário do Nepal decidiu exigir oficialmente a extradição do camarada Gaurav. É claro que as autoridades indianas e nepalesas estão a conspirar contra ele. Por isso, pedimos a todos os internacionalistas revolucionários e a todas as forças anti-imperialistas, a todos os intelectuais, artistas, advogados e outros progressistas, para que intervenham e impeçam os estados indiano e nepalês de cometer este crime contra o povo do Nepal e os povos do mundo.

O perigo que o camarada Gaurav enfrenta foi agravado agora que chegou ao fim o cessar-fogo de sete meses entre as forças revolucionárias e a monarquia. O facto de o governo real do Nepal ter assassinado revolucionários maoistas ao mesmo tempo que se sentava à mesa das negociações com o PCN(M) e assinava com ele acordos de cessar-fogo, o facto de ter usado o período do cessar-fogo para importar armas e ter conselheiros militares dos EUA a treinar os soldados do Exército Real para serem lançados contra os revolucionários, dá um vislumbre da natureza reaccionária deste estado e dos seus guardiães estrangeiros. O governo real e os seus apoiantes no estrangeiro não desejam ver o povo tomar o poder político, qualquer que seja a sua forma. Prefeririam encharcar o país em sangue e arruinar o Nepal a aceitar o povo nepalês como senhor da sua própria terra. Prender, fazer desaparecer e matar os líderes dessas massas é exactamente uma parte e parcela dessa política.

O governo dos EUA, que tenciona esmagar qualquer oposição à sua dominação global, em especial a genuína luta popular, não vacilou em pôr o PCN(M) na sua lista de "terroristas". Os revolucionários e os progressistas devem opor-se às tentativas imperialistas e reaccionários de etiquetar a luta popular de libertação como "terrorismo" e devem impedir de algum mal seja feito aos líderes do povo. Apoiar os líderes do povo nepalês significa apoiar o seu direito a lutar pela tomada do poder e a emancipar-se da pobreza e da subjugação velha de séculos.

Apelamos urgentemente a todos os partidos e organizações participantes no Movimento Revolucionário Internacionalista, a todos os maoistas e revolucionários, às forças progressistas e populares de todo o mundo, a virem em defesa do camarada Gaurav, a lutar contra a sua extradição e a exigir a sua libertação imediata.

8 de Setembro de 2003 - O Comité do Movimento Revolucionário Internacionalista

Para mais informações, escreva para: BCM RIM, London WC1N 3XX, UK / Grã-Bretanha, ou veja na internet: www.aworldtowin.org