Manifestantes em Bruxelas exigem liberdade para líder maoista do Nepal
24 de Novembro de 2003. Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar.

Protestos em Berlim por Gaurav
Manifestação convocada pelo MRPM-Berlim, frente ao consulado indiano

O Movimento de Resistência Popular Mundial - Benelux (Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo) e o grupo STOP USA (uma plataforma de mais de 50 grupos que ajudou a organizar as manifestações contra a invasão do Iraque) organizaram uma concentração de protesto frente à embaixada indiana em Bruxelas a 12 de Novembro, para exigir a liberdade de Chandra Prakash Gajurel (Camarada Gaurav). Os manifestantes entregaram um memorando ao embaixador indiano. Dirigido ao primeiro-ministro Vajpayee, o documento exigia a libertação imediata e incondicional de Gajurel.
Protestos em Thüringen-Sul por Gaurav
Imagens dos protestos em Thüringen-Sul (Alemanha) organizados pela secção local do MRPM

Este importante membro do Partido Comunista do Nepal (Maoista) está detido pelas autoridades indianas desde 20 de Agosto, altura em que foi preso com base numa infracção relacionada com o seu passaporte no aeroporto de Chennai (Madras) quando estava prestes a viajar para a Europa para promover a política do seu partido, o qual leva a cabo uma guerra popular baseada nos camponeses, contra a monarquia do Nepal mantida pelos EUA, e que já controla a maioria das zonas do interior do país.
Protestos em Hamburgo por Gaurav
Imagens da concentração junto à Estação Central de Hamburgo a 17 de Setembro, organizada pelo MRPM-Hamburgo

Falando à concentração de Bruxelas, uma porta-voz do STOP USA disse: "Desde o fim do cessar-fogo em Agosto, o embaixador norte-americano tem-se dedicado a uma flagrante e inaceitável interferência neste conflito interno." E disse mais adiante: "Também é inaceitável para nós que os EUA enviem centenas de conselheiros militares para o Nepal. Não aceitamos qualquer interferência dos Estados Unidos nos assuntos internos de um país soberano. Não aceitamos falsas desculpas como a luta contra o terrorismo, a libertação ou a instauração da democracia. Pelo menos, não do tipo da democracia que os EUA querem."

Um porta-voz do Partido dos Trabalhadores da Bélgica destacou o recente aumento da brutalidade do regime reaccionário do Nepal.
Protestos na Turquia por Gaurav
Imagens da concentração de 18 de Setembro frente ao consulado indiano na Turquia, organizada pela Comité para a Libertação de Chandra Prakash Gajurel

Do mesmo modo, em nome do MRPM-Benelux, um orador apelou aos amantes da justiça de todo o mundo para que lutassem pela libertação imediata do Camarada Gaurav.

Estudantes nepaleses na Noruega também exigiram a libertação imediata do Camarada Gaurav. Uma carta de protesto foi entregue na embaixada indiana em Oslo (Noruega) a 10 de Novembro.

Está previsto que o Camarada Gaurav apareça novamente em tribunal a 25 de Novembro. Apesar de as acusações contra ele serem secundárias e normalmente rapidamente sanadas, as autoridades indianas afirmam que estão a retê-lo para "investigação".

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese