Índia prende um destacado maoista nepalês com base em falsas acusações
8 de Setembro de 2003. Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar.

O membro da Comissão Política do Partido Comunista do Nepal (Maoista), camarada Chandra Prakash Gajurel (camarada Gaurav), foi preso a 20 de Agosto no aeroporto de Chennai em Madras, Índia. De acordo com uma declaração à imprensa emitida pelo Presidente Prachanda do PCN(M), o camarada Gajurel tinha planeado voar para a Europa para divulgar a política e o programa político do partido.

Dado que ele é um membro sénior de um partido revolucionário que leva a cabo uma guerra popular para libertar o Nepal da opressão feudal e da dominação estrangeira, naturalmente que não podia viajar sem tomar precauções. As autoridades indianas alegam que o retiveram por utilizar um passaporte britânico ilegítimo. Mesmo que fosse verdade, isso não seria normalmente considerado pela maioria dos governos uma violação importante das suas leis. As autoridades de todos os países normalmente tratam este tipo de assuntos numa questão de horas, e não semanas, porque enfrentam uma volumosa imigração dita ilegal. Neste mundo grotescamente desigual, milhões de pessoas de países oprimidos fazem tudo o que for necessário para atravessar o muro de ferro erigido ao redor da Europa e da América do Norte e para conseguirem entrar. Mas, no caso do camarada Gajurel, as autoridades indianas estão a retê-lo como refém político.

Os governos indiano e nepalês podem muito bem estar a conspirar secretamente para o extraditar para o Nepal. O governo indiano já cometeu esse crime contra maoistas nepaleses o ano passado, apesar de o tratado de extradição entre a Índia e o Nepal excluir a entrega de presos políticos. Essa possibilidade deixou os progressistas da Ásia Meridional e do mundo inteiro muito preocupados e ansiosos. Notícias dão conta que o regime nepalês decidiu pedir oficialmente ao governo indiano que o camarada Gajurel fosse entregue às suas mãos.

Na sua declaração de 23 de Agosto sobre este assunto, o Presidente Prachanda disse: "As forças de segurança indianas prenderam o camarada Chandra Prakash Gajurel (camarada Gaurav), um membro da Comissão Política do Comité Central do nosso glorioso partido, o Partido Comunista do Nepal (Maoista), a 20 de Agosto no Aeroporto de Chennai em Madras. O camarada Gajurel dirigia-se clandestinamente à Europa para, de acordo com uma decisão do nosso partido, levar a cabo acções de propaganda da política e do programa do nosso partido... Instamos o governo indiano a que o camarada Gajurel seja tratado respeitosamente e libertado sem demora... Ao mesmo tempo, o nosso partido apela a todos os intelectuais, jornalistas, advogados e às largas massas populares que querem ver a verdadeira emancipação e progresso do povo do Nepal para que trabalhem pela libertação do camarada Gajurel (camarada Gaurav) e para que seja dado um novo impulso à unidade entre os povos nepalês e indiano."

Declaração do Camarada Prachanda sobre a Prisão do Camarada Gajurel
8 de Setembro de 2003. Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar.

O texto que se segue é uma declaração de 23 de Agosto do Presidente Prachanda do Partido Comunista do Nepal (Maoista). O governo nepalês acabou com as negociações de paz aqui mencionadas pouco depois de esta declaração ter sido emitida.

As forças de segurança indianas prenderam o camarada Chandra Prakash Gajurel (camarada Gaurav), um membro da Comissão Política do Comité Central do nosso glorioso partido, o Partido Comunista do Nepal (Maoista), a 20 de Agosto no Aeroporto de Chennai em Madras. O camarada Gajurel dirigia-se clandestinamente à Europa para, de acordo com uma decisão do nosso partido, levar a cabo acções de propaganda da política e do programa do nosso partido. No actual contexto do processo de negociações de paz entre o nosso partido e o velho Estado nepalês, que o governo indiano está a apoiar, instamos o governo indiano a que o camarada Gajurel seja tratado respeitosamente e libertado sem demora, sem que seja dada importância desnecessária à questão técnica da viagem clandestina à Europa. A sua libertação não só provaria a vontade do governo indiano em estabelecer a paz no Nepal, mas também daria um novo impulso às nossas relações diplomáticas. Ao mesmo tempo, o nosso partido apela a todos os intelectuais, jornalistas, advogados e às largas massas populares que querem ver a verdadeira emancipação e progresso do povo do Nepal para que trabalhem pela libertação do camarada Gajurel (camarada Gaurav) e para que seja dado um novo impulso à unidade entre os povos nepalês e indiano.

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese