Militantes maoistas assassinados na Índia
28 de Fevereiro de 2005. Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar.

A 8 de Fevereiro, numa aldeia do Estado de Karnataka no sul da Índia, perto da fronteira com o Andhra Pradesh, forças de segurança locais e nacionais mataram Saket Raj (conhecido como Perm) e outro camarada do recém-formado Partido Comunista da Índia (Maoista). A informação fornecida pelo Fórum de Resistência Popular de Toda a Índia (AIPRF) descrevia Perm como secretário do comité do Estado de Karnataka do PCI(M). O AIPRF disse que Perm estava a participar numa reunião quando chegaram as forças de segurança (STF) e a polícia agindo sob a autoridade do governo central. Eles perseguiram-no, capturaram-no e mataram-no a sangue frio. Como acontece sempre que os revolucionários são assassinados desta maneira, o governo indiano alegou que os dois camaradas tinham sido mortos num “encontro” (tiroteio) com os guerrilheiros. O camarada Perm era estudante em Nova Deli. Entre os seus trabalhos históricos publicados está a História Popular de Karnataka. O AIPRF convocou uma manifestação em Nova Deli para protestar contra este crime.

A 11 de Fevereiro, pelo menos seis polícias foram mortos num ataque a um posto numa aldeia na fronteira entre Karnataka e Andhra Pradesh, segundo relatos da imprensa que atribuíram o ataque às guerrilhas do PCI(M). Outros cinco ficaram feridos. As forças de segurança tinham regressado pouco antes de uma patrulha pela zona da fronteira. O PCI(M) esteve envolvido em negociações com os governantes do Andhra Pradesh, com a aprovação do Partido do Congresso, o principal partido da coligação que agora controla o parlamento da Índia. Elas foram canceladas em Outubro depois de ataques policiais terem quebrado o cessar-fogo. Antes do assassinato de Perm, negociações semelhantes tinham sido mantidas em Karnataka, de acordo com o AIPRF. Nos últimos meses tem havido uma renovação dos combates entre as guerrilhas maoistas e as forças de segurança no Andhra Pradesh. Para dar uma ideia da escala dos combates, a BBC estimou que mais de 60 pessoas de ambos os lados foram mortas naquele estado durante os últimos três meses.

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese