Reproduzimos abaixo um comunicado do Comité de Apoio aos Resistentes Estudantis do Irão

Apelo:

Apoiemos o movimento estudantil no Irão!

Há mais de 2 semanas que um pequeno grupo de estudantes da Universidade de Teerão iniciou uma corajosa luta contra o plano estatal de "privatização das universidades". Ao levar vigorosamente essa luta para as ruas, para junto das massas populares, conseguiram iniciar uma batalha política revolucionária à escala nacional. Essa luta revolucionária desenrola-se agora em muitos cantos do Irão. E a sua reivindicação principal é o derrube da República Islâmica do Irão.

Há 24 anos, o povo do Irão fez uma revolução contra o regime do Xá, que era um regime despótico e pró-imperialista, e derrubou-o. Mas os mulás, ajudados pelos governos europeus e dos EUA, roubaram-lhe a sua revolução. Com a implantação da República Islâmica do Irão, os revolucionários foram presos e executados, as mulheres tornaram-se escravas, os curdos foram brutalmente reprimidos, os operários e os camponeses foram levados à mais profunda das misérias através dos programas de desenvolvimento e de privatização elaborados pelo FMI e pelo Banco Mundial.

Mas agora as massas populares levantaram-se resolutamente para também derrubarem este odiado regime. Para fazer evoluir a luta, os jovens, não temendo nem a morte nem a tortura, saem para as ruas e apelam corajosamente ao povo para que derrube o regime islâmico. Corajosamente, as mulheres removem e queimam os seus lenços e gritam que nunca mais voltarão a ser escravas. As principais palavras de ordem dos estudantes e de dezenas de milhares de pessoas que a eles se juntaram são: "Abaixo a República Islâmica do Irão! Liberdade para os Presos Políticos!"

Os corajosos estudantes da Universidade de Teerão e outras universidades foram brutalmente reprimidos pelas forças policiais pela sua corajosa luta. Foram presos centenas de estudantes que estão agora sob tortura. Muitos desapareceram. E o regime iraniano estabeleceu o estado de emergência de facto nas ruas de Teerão e de outras cidades importantes.

George Bush, que não quer parar a morte sistemática do povo iraquiano e que é um fanático religioso e fascista como os mulás que governam o Irão, insinuou ridícula e arrogantemente que o movimento estudantil no Irão era inspirado pelo seu governo. Mas os estudantes iranianos responderam prontamente, avançando com as palavras de ordem: "Este é um Movimento Estudantil, Não é um Movimento Americano!". A juventude iraniana não procura o apoio de colonialistas como Bush e os da sua laia. Eles querem juntar-se às centenas de milhares de jovens, de estudantes e outras pessoas que ousadamente se opuseram à rapina do Iraque pelos EUA, indo contra o seu próprio governo.

As potências imperialistas europeias (como a Grã-Bretanha, a Alemanha, a França e a Itália) que têm embolsado gigantescos lucros nas suas operações económicas com o Irão; têm sempre apoiado e ajudado o regime dos mulás. Mas hoje em dia enchem os seus serviços noticiosos com relatos sobre falsas escaramuças entre eles e os mulás acerca do desenvolvimento de bombas nucleares!! Evitam informar a realidade de que o centro dos acontecimentos políticos no Irão é um movimento estudantil e popular em todo o país, que o regime dos mulás tenta reprimir. Os estudantes iranianos não procuram favores e ajudas dos imperialistas britânicos, alemães, franceses e italianos. Os jovens resistentes do Irão procuram os seus aliados entre os jovens anti-imperialistas da Europa, entre as feministas rebeldes, entre os imigrantes da Turquia, dos países árabes, da Ásia, de África e da América Latina nesses países. Nós não queremos nem mulás, nem Xás ou George Bushs. Nós queremos a Liberdade e a Independência! Nós não queremos nem a economia de mercado nem a modernização e a globalização capitalistas que condenaram milhares de milhões de pessoas do mundo a uma morte gradual! Nós queremos um Mundo Novo! Nós somos habitantes do mundo e a nossa luta é parte da luta dos povos do mundo pela construção de um Mundo Novo.

8 de Julho é o 4º aniversário de outra insurreição estudantil que foi barbaramente reprimida pela República Islâmica do Irão (RII). Os estudantes que foram presos nessa insurreição ainda estão nas prisões da RII. Este ano, por todo o Irão, os resistentes estudantis estão a planear levar a cabo manifestações e diferentes formas de luta. É certo que essas lutas se depararão com uma violenta repressão por parte das forças armadas da RII. E os números de mortos e presos estudantis serão elevados. Logo, o 8 de Julho será um dia pesado e marcante para os militantes estudantis do Irão.

Apelamos a todos os jovens e outros anti-imperialistas para que se solidarizem com os militantes estudantis no Irão e que tomem parte nas diversas manifestações que estão anunciadas.

O Comité de Apoio aos Resistentes Estudantis do Irão

(Para mais notícias, consultar: www.sarbedaran.org ou www.aworldtowin.org)

Tradução de www.paginavermelha.org