Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 27 de Outubro de 2003, aworldtowinns.co.uk

Coisas que não existem

A empresa Raytheon, o maior fabricante do mundo de mísseis e um dos maiores “contratistas da defesa”, conhecidos como comerciantes da morte nos círculos informados dos Estados Unidos, foi recentemente premiada com um contrato de 40 milhões de dólares para armazenar qualquer arma nuclear, química ou biológicas de destruição em massa que os EUA encontrem no futuro no Iraque. Não é muito dinheiro, no seu mundo empresarial, mas não é mau tendo em conta que...

Entretanto, parece que o General Boykin que fez manchetes ao declarar que “o meu deus é maior que o deus deles”, referindo-se ao Islão, e que a “guerra ao terror” no Iraque seria uma guerra contra “Satanás”, esteve envolvido na tentativa de agressão dos EUA contra o Irão em 1979. A operação, uma tentativa de resgatar o pessoal da embaixada dos EUA retido quando o edifício foi ocupado por estudantes iranianos e que terminou ignominiosamente quando dois super-helicópteros foram inutilizados por uma tempestade de areia no deserto.

Boykin também participou como oficial na invasão da Somália pelos EUA em 1993 – retratada no filme Blackhawk Down – e que também terminou em humilhação para as forças dos EUA.

Agora é o subsecretário de Rumsfeld para os serviços secretos. O próprio Rumsfeld admitiu, no que supostamente era um memorando confidencial aos seus subordinados, que não sabia se os EUA estavam “a ganhar ou a perder” aquela guerra.

Podemos ver por que o tamanho do seu deus tem tanta importância para esses indivíduos.

Considerando que é um perito em coisas que não existem, talvez o sombrio Boykin, como tantos outros militares, deva desistir do seu emprego governamental e ir trabalhar para a Raytheon.