“A nossa dor não é um apelo à guerra”

No dia 22 de Setembro, ao meio-dia, uma coligação de mais de 100 artistas de Nova Iorque juntou-se para participar numa performance intitulada “Our Grief Is Not A Cry For War” (“A nossa dor não é um apelo à guerra”). Durante uma hora permaneceram em silêncio num semicírculo, vestidos completamente de negro, com máscaras na boca e cartazes ao pescoço com a frase “OUR GRIEF IS NOT A CRY FOR WAR”. A mensagem era que não queriam que a sua dor fosse usada para justificar a guerra, os ataques aos árabes e muçulmanos e as novas leis e medidas repressivas.

O evento teve lugar num memorial que se foi improvisando a seguir ao 11 de Setembro na Praça da União (Union Square) em Nova Iorque. Foi repetido nos dias 25 de Setembro e 5 de Outubro, mas na zona de Times Square. A última apresentação contou já com mais de 150 artistas (do cinema, das artes visuais, do teatro da dança e da palavra). Foi ao fim da tarde e teve como pano de fundo os gigantescos ecrãs de vídeo da praça, onde os canais de televisão passavam as notícias da “guerra ao terrorismo” (recorde-se que foi dois dias antes do início da agressão ao Afeganistão). Os relatos do evento salientavam que o efeito daquelas duas mensagens opostas, nos milhares de pessoas que se juntaram à sua volta ou que passavam, era impressionante.

As duas primeiras fotos abaixo foram tiradas a 22 de Setembro por um fotógrafo da AP, espalharam-se rapidamente na internet e chegaram ao top de popularidade de fotos do site Yahoo.com. As restantes fotos são do site da Refuse & Resist, a primeira corresponde ao mesmo evento e as 3 seguintes aos dois eventos na Times Square.

Outubro de 2001

 


22 de Setembro de 2001 (Foto: AP/Bebeto Matthews)

22 de Setembro de 2001 (Foto: AP/Bebeto Matthews)

22 de Setembro de 2001 – Union Square

25 de Setembro de 2001

5 de Outubro de 2001

5 de Outubro de 2001