Turquia: Cinco combatentes do TKP/ML-TIKKO mortas numa avalanche
25 de Abril de 2011. Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar.

Publicamos de seguida um comunicado à imprensa distribuído a 20 de Abril pelo Gabinete de Relações Internacionais do Partido Comunista da Turquia/Marxista-Leninista (TKP/ML).

Um comunicado à imprensa do Comité Regional de Dersim do TKP/ML-TIKKO [Exército de Libertação dos Operários e Camponeses da Turquia] de 20 de Abril de 2011 informa que, a 2 de Fevereiro de 2011, cinco guerrilheiras do TKP/ML-TIKKO perderam as suas vidas em resultado de uma avalanche. Segundo o comunicado da Região de Dersim, a 2 de Fevereiro de 2011, às 5h da manhã, uma avalanche destruiu um acampamento de inverno e matou cinco guerrilheiras do TIKKO.

As cinco camaradas mártires:
Sefagul Kesgin, Nursen Aslan, Gulizar Ozkan, Fatma Acar e Derya Aras


1 – Sefagul Kesgin, de pseudónimo Eylem, nasceu em Erzurum em 1977. Juntou-se à guerrilha em 2007. Era lugar-tenente político da Região de Dersim.

2 – Nursen Aslan, de pseudónimo Emel, nasceu em Tokat (no Mar Negro) em 1981. Juntou-se à guerrilha em 1999. Era uma simpatizante avançada do TKP/ML e uma comandante da Região de Dersim.

3 – Gulizar Ozkan, de pseudónimo Ozlem, nasceu em 1967 em Dersim. Juntou-se às guerrilhas em 2005. Era uma simpatizante avançada do partido e uma comandante do TIKKO.

4 – Fatma Acar, de pseudónimo Dilek, nasceu em 1983 em Mersin. Juntou-se à guerrilha em 2006. Era uma simpatizante avançada do TKP/ML e uma comandante do TIKKO.

5 – Derya Aras, de pseudónimo Sevda, nasceu em 1979 em Erzincan e juntou-se às guerrilhas em 2009. Era uma simpatizante avançada do TKP/ML e uma combatente do TIKKO.

Uma operação de salvamento foi desencadeada imediatamente após o deslizamento de terras, mas apenas encontrou os corpos inanimados e enterrados das cinco camaradas.

O Comité Regional de Dersim declara ainda que o martírio das nossas cinco camaradas, entre as quais a camarada Sefagul Kesgin, é uma grande perda para a nossa organização. Sabemos que estas perdas e mortes fazem parte da guerra. Para suportarmos o preço desta grande perda, iremos concentrar-nos na nossa luta com todas as nossas capacidades e forças e intensificar a luta que nos foi entregue pelas nossas mártires, da forma que as nossas camaradas merecem.

As nossas cinco camaradas deixaram uma marca na página da história; elas fizeram-no com o seu importante papel na nossa guerra e mostrando às mulheres oprimidas o caminho para a liberdade. As vidas delas, tal como o seu martírio, foi uma revolta contra a opressão das mulheres durante milhares de anos e essa revolta iluminará o caminho dos camaradas que continuarão a luta.

Só poderemos manter viva a memória das nossas camaradas com as armas que delas recolhemos para a luta pela revolução democrática do povo, pelo socialismo e pelo comunismo.

Como gabinete internacional do TKP/ML, sabemos que a via da revolução mundial proletária é uma via cheia de força de vontade, sacrifícios e determinação. A via para a vitória final só pode ser alcançada com o conhecimento da revolução mundial proletária e da ideologia Marxista-Leninista-Maoista. Por isso, apelamos a todas as forças revolucionárias e comunistas para tomarem nota do martírio das nossas camaradas Sefagul Kesgin, Nursen Aslan, Gulizar Ozkan, Fatma Acar, Derya Aras.

Viva o Internacionalismo Proletário! Viva a Guerra Popular – Viva o Marxismo-Leninismo-Maoismo!

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese