Operação policial contra activistas turcos na Alemanha
17 de Dezembro de 2007. Serviço Noticioso Um Mundo a Ganhar.

A 5 de Dezembro, a polícia levou a cabo rusgas contra casas e escritórios em cidades no norte, sul e oeste da Alemanha. Segundo a agência Associated Press, o seu objectivo era obter “provas dos membros e da estrutura organizativa da organização terrorista estrangeira TKP/ML e da sua actividade terrorista, disseram os procuradores federais em comunicado”. Publicamos de seguida o texto integral de um comunicado à imprensa da Coordenação Europeia da Liga Internacional para a Luta Popular (ILPS).

Com o avanço da agressão imperialista, precipitaram-se os ataques às forças que participam activamente na luta de libertação nacional e social e na luta anti-imperialista. A pretexto da chamada “luta contra o terror” ou da “defesa da segurança interna”, estão ser invadidos sem qualquer explicação plausível muitas casas, escritórios e associações, estão a ser presos activistas que, nalguns países, chegam mesmo a ser ameaçados, mortos e torturados. Esta vaga de repressão também se tem desenvolvido na Europa.

Um novo exemplo disto ocorreu a 5 de Dezembro de 2007; às primeiras horas da madrugada, em cerca de oito cidades da Alemanha, teve lugar uma vasta operação. A operação foi levada a cabo por cerca de 145 polícias. A decisão de lançar a operação foi tomada pelo Supremo Tribunal de Karlsruhe. As rusgas foram feitas contra duas associações e 10 apartamentos. Algumas dessas pessoas são bem conhecidos membros democratas de esquerda da associação ATIF (de trabalhadores turcos no estrangeiro).

A acusação contra todos eles é a de serem membros do Partido Comunista da Turquia / Marxista-Leninista (TKP/ML). O mandato de busca mencionava que o TKP/ML não está proibido na Alemanha. As casas foram revistadas para procurarem durante horas objectos “suspeitos” e documentos “pertinentes”. Após terem levado todos os activistas para esquadras da polícia para recolha de impressões digitais, libertaram-nos.

Os órgãos da comunicação social institucional também noticiaram estes factos e deram a sua contribuição no que diz respeito à desinformação. Eles escreveram: “operação contra militantes do TKP/ML” ou “operação contra célula terrorista”, etc. Nas notícias, os activistas foram retratados como terroristas e membros da organização. Isto mostra que a comunicação social burguesa não está a fazer outra coisa que não servir os objectivos das classes dominantes. Na Alemanha, as organizações progressistas e de esquerda e os seus activistas e também as associações de migrantes que lutam internacionalmente contra a repressão a nível mundial ou que se posicionam contra todos o tipo de violações dos direitos humanos, estão a ser consideradas “muito perigosas”.

Apelamos aos progressistas e democratas e também aos intelectuais para tomarem uma posição contra esta medida injusta e ilegítima do estado alemão contra o movimento democrático e progressista. Este ataque contra progressistas é uma violação do importante direito constitucional de liberdade de expressão e do direito de organização.

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese