“Parem a extradição de Kemal Kutan para a Turquia! Libertem-no já!”
19 de Novembro de 2007. Serviço Noticioso Um Mundo a Ganhar.

Kemal Kutan

Recebemos o seguinte comunicado do Comité de Solidariedade com Kemal Kutan.

Kemal Kutan, um jornalista e activista revolucionário turco de 42 anos, foi detido pela polícia alemã quando viajava no comboio Estugarda-Donausingen a 29 de Outubro de 2007. Ele foi preso com base num mandado da Interpol emitido pelo estado turco e está agora ameaçado de extradição para a Turquia. Kemal Kutan já passou muitos anos nos calabouços da Turquia por nada mais que a sua defesa de ideias revolucionárias após o golpe militar de 1980. A sua extradição deve ser impedida e Kemal Kutan libertado.

O estado turco é sobejamente conhecido pela sua brutal repressão da oposição radical e das forças laicas, sobretudo as revolucionárias. Ao mesmo tempo que a União Europeia canta elogios aos “progressos” turcos em relação aos direitos humanos, segundo a organização turca de direitos humanos IHD, o uso da tortura pelas forças policiais do país tem estado em ascensão no último ano. Isto foi sangrentamente ilustrado este ano quando foram tornados públicos os factos sobre como um jovem nigeriano foi torturado até à morte na esquadra da polícia de Beyoglu, em Istambul. É bem sabido que a polícia secreta leva a cabo sangrentas atrocidades pelas quais tenta culpar os opositores radicais do regime, num esforço para os desacreditar e para depois justificar o seu próprio agravamento da repressão. O ano passado, eles foram apanhados em flagrante durante uma tentativa de organização de um atentado bombista contra uma livraria progressista curda. E, ao longo da cobertura noticiosa das recentes eleições nacionais na Turquia, os comentaristas ocidentais “retiveram a sua respiração” para verem “o que é que os militares permitiriam”. É um segredo conhecido que o poder final está claramente nas mãos dos generais reaccionários do apropriadamente chamado Conselho Militar Supremo do país.

Nestas condições, entregar um revolucionário como Kemal Kutan a um regime assim não tem nada a ver com a justiça internacional que a Alemanha proclama defender, mas tudo a ver com o fortalecimento do poder das forças dominantes reaccionárias que a Alemanha e as outras potências ocidentais apoiam na Turquia. Extraditar Kemal Kutan constituiria um rude golpe para a esperança e a luta de milhões de turcos que almejam o fim do pesadelo de uma vida sob este regime reaccionário. Em vez disso, fortaleceria o clima de estado policial, onde o medo, a repressão, o militarismo e os ataques racistas anticurdos estão em ascensão.

A extradição de Kemal Kutan deve ser impedida e ele deve ser libertado!

Não às detenções, às extradições e às deportações!

Por favor, envie declarações a exigir que Kemal Kutan não seja extraditado, por fax ou correio electrónico:

- Ministério da Justiça (Alemanha): Ms Zypries 00 49 (0)1888 580 9525

- Organização de Direitos Humanos da Alemanha: 00 49 (0)5141 206 572

- Organização Froasyl pelo Direito ao Asilo: proasyl@proasyl.de

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese