CoMRI: “Liberdade para José María Sison!”
3 de Setembro de 2007. Serviço Noticioso Um Mundo a Ganhar.

Publicamos de seguida um comunicado de 30 de Agosto do Comité do Movimento Revolucionário Internacionalista (CoMRI).

O Comité do Movimento Revolucionário Internacionalista soube com raiva e indignação da prisão de José María Sison pelas autoridades holandesas. O camarada Sison foi o Presidente fundador do Partido Comunista das Filipinas em 1968 e toda a vida tem sido um opositor ao imperialismo e à reacção e um líder das lutas do povo filipino. É por estas razões e por nenhuma outra que o camarada Sison tem vindo a ser perseguido pelos sucessivos governos reaccionários das Filipinas. O imperialismo norte-americano e a União Europeia também tentaram colar a etiqueta de “terrorista” ao camarada Sison, apesar do facto de a luta a que ele tem estado associado nas Filipinas ser amplamente conhecida, mesmo pela comunicação social reaccionária, por ter o apoio de milhões de filipinos de muitos sectores sociais.

A prisão do camarada Sison não é só um importante golpe contra a luta do povo filipino, também é um ataque aos milhares de revolucionários e outros activistas políticos de todo o mundo que se estabeleceram na Europa por causa da implacável perseguição política nos seus países de origem. Se as autoridades holandesas conseguirem levar o camarada Sison a julgamento, isso terá implicações sinistras e muito generalizadas.

O CoMRI, em nome de todo o Movimento Revolucionário Internacionalista, apela a todas as pessoas e forças comunistas, revolucionárias e progressistas para erguerem as suas vozes em protesto e exigirem que as autoridades holandesas libertem José María Sison, retirem todas as acusações contra ele e cessem a sua perseguição política.

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese