Comité Iraniano de Organização Contra o G8:
“Unidade contra as guerras imperialistas e contra todos os reaccionários do Médio Oriente”
7 de Maio de 2007. Serviço Noticioso Um Mundo a Ganhar.

O seguinte panfleto do Comité Iraniano de Organização Contra o G8, uma das muitas correntes de protesto que convergirá perto de Rostok, na Alemanha, a partir de 2 de Junho para se oporem à cimeira do grupo G8 das principais nações imperialistas do mundo que terá lugar entre 6 e 8 de Junho. Contacto: Iran.AntiG8@gmail.com.

Os líderes das potências imperialistas reunir-se-ão em Heiligendamm (Alemanha) para fortalecerem o seu sistema de globalização capitalista e de domínio imperialista. Estes bandos de mafiosos farão acordos sobre como saquear e destruir as vidas dos povos do mundo – economicamente ou através de guerras.

Eles discutirão especificamente a continuação da ocupação do Afeganistão e do Iraque, bem como a expansão da guerra ao Irão.

Nesta ocasião, temos que juntar as mãos num poderoso punho e realizar um poderoso protesto contra esses crimes. Devemos expor o facto de os EUA estarem a preparar planos militares incrivelmente horrendos contra o Irão, que incluem o uso de armas nucleares tácticas. Temos que impedir os EUA antes que seja demasiado tarde e antes que milhões de iranianos sejam vítimas de um ataque nuclear.

Ao mesmo tempo, o movimento contra a guerra na Europa e em todo o mundo tem que apoiar a justa luta do povo do Irão contra o regime da República Islâmica do Irão. A República Islâmica do Irão é um estado reaccionário a que nos devemos opor. Esse regime chegou ao poder em resultado de, há 28 anos, ter feito acordos com as potências imperialistas ocidentais e sobreviveu levando a cabo uma sangrenta repressão dos revolucionários do Irão. Sob esse regime, as mulheres foram tornadas escravas e as crianças tornadas propriedade dos pais, através da legalização das regras da Xariá (lei islâmica) de há 1400 anos. Essas leis diferenciam os cidadãos do Irão com base na sua religião e convicções. Sob esse regime, o controlo do petróleo do Irão e do Golfo pelas potências ocidentais – sobretudo os EUA – ficou garantido e a economia iraniana foi totalmente aberta à globalização capitalista, a economia local foi destruída e a maioria das pessoas foi atirada para a pobreza.

A República Islâmica do Irão cometeu crimes contra os povos do Médio Oriente ao ajudar os EUA e os seus aliados na invasão e na ocupação do Afeganistão e do Iraque. Ao mesmo tempo que as máquinas de guerra do EUA e da Grã-Bretanha levavam a cabo a sua brutal invasão do Iraque, a República Islâmica dizia ao povo do Irão para se manter “neutro” porque os iraquianos “mereciam” isso! Hoje em dia, o regime da República Islâmica, ao lado dos regimes reaccionários do Golfo e as forças norte-americanas e britânicas no Iraque estão a fomentar guerras tribais e religiosas entre diferentes grupos de pessoas do Iraque. Cada um deles está a financiar e a armar diferentes grupos reaccionários.

Os crimes da República Islâmica do Irão contra os povos do Irão, do Iraque e do Afeganistão não podem ser esquecidos ou perdoados. Por isso, ao mesmo tempo que nos opomos aos planos de guerra dos EUA contra o Irão, a natureza reaccionária da República Islâmica do Irão deve ser exposta e não apoiada. O povo do Irão, liderado pelos seus filhos e filhas revolucionários têm lutado e sacrificado nos últimos 28 anos para derrubarem esse regime e nunca interromperão essa luta. Todos os que se consideram a si próprios genuinamente anti-imperialistas e anticapitalistas e anseiam por um mundo diferente, um mundo que pertença aos oprimidos e explorados, devem saber que os estados e as forças políticas reaccionárias locais nos países do chamado “terceiro mundo” (incluindo as forças fundamentalistas islâmicas do Médio Oriente) participam e são cúmplices deste sistema capitalista imperialista mundial injusto e completamente reaccionário.

Apelamos ao movimento anti-imperialista e contra a guerra na Europa e em todo o mundo para se opor e lutar contra os planos de guerra dos EUA e ao mesmo tempo apoiar a justa luta do povo do Irão contra a República Islâmica do Irão. Esta é a única posição genuinamente anti-imperialista.

Juntem-se a nós em Heiligendamm para içarmos a bandeira da luta revolucionária contra o imperialismo e os reaccionários do Médio Oriente. Apelemos em conjunto aos verdadeiros revolucionários do Médio Oriente para que ousem erguer-se e organizar a resistência do povo contra os agressores imperialistas, de uma forma independente e em oposição aos estados reaccionários locais e às forças fundamentalistas islâmicas.

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese