MRPM: Não ao Ataque ao Irão! EUA, Grã-Bretanha e Todas as Tropas de Ocupação Fora do Iraque Já!
19 de Março de 2007. Serviço Noticioso Um Mundo a Ganhar.

Reproduzimos um comunicado do Comité Organizador Provisório (Europa) do Movimento de Resistência Popular Mundial.

O dia 20 de Março de 2007 marcará o quarto aniversário da invasão e ocupação do Iraque liderada pelos EUA. Enquanto, como resultado, o povo do Iraque continua a morrer diariamente às centenas, o Presidente Bush dos EUA anunciou que não menos de 30 000 soldados norte-americanos adicionais irão ser enviados para o Iraque para apoiar o regime fantoche que os EUA aí tentam instalar e, através da força das armas, obrigar o povo iraquiano à submissão. Ainda mais alarmante é que, ao mesmo tempo que anuncia esta escalada, Bush enviou dois grupos de combate com porta-aviões e outras forças para a região do Golfo Pérsico e tem ameaçado abertamente vir a atacar o Irão – incluindo a possibilidade do uso de armas nucleares – se o regime iraniano não se curvar perante as exigências dos EUA. Outro potencialmente enorme crime está em fabricação.

A invasão e ocupação do Iraque custaram a vidas a centenas de milhares de pessoas e tornaram a vida quotidiana nesse país num horrendo pesadelo. Isso tem sido muito justamente condenado pela vasta maioria das pessoas de todo o mundo. Apesar desta condenação generalizada, os imperialistas norte-americanos e os seus principais aliados tornaram claro que não têm nenhuma intenção de retirar as suas forças de livre vontade. E, como sempre, tudo isto está a acontecer em nome da “democracia” e de uma suposta “guerra ao terror”.

Durante os últimos quatro anos, gente de todos lugares pôde ver uma vez mais que quando os imperialistas falam em “democracia”, estão de facto a falar nas mais brutais guerras de agressão e subjugação. O próprio conceito de soberania nacional foi declarado obsoleto, no que diz respeito aos países oprimidos do mundo. As grandes potências alegam o “direito” a impor “mudanças de regime” – sobretudo a instalação de déspotas feudais e fundamentalistas religiosos – em qualquer país da sua escolha, seja através da ONU ou de outras organizações internacionais que eles controlam ou mesmo através de uma declaração unilateral se assim o decidirem.

Da mesma forma, a falsa “guerra ao terror” mostrou por si mesma que não é mais que uma fina cobertura para aquilo que é de facto uma guerra sem fim contra o mundo e os seus povos. O seu verdadeiro objectivo é estabelecer a hegemonia dos imperialistas norte-americanos em todo o planeta. Redefinir o “Grande Médio Oriente” sob controlo exclusivo dos EUA é um elemento chave nesta estratégia global. Para atingir esse objectivo, os EUA e seus aliados têm que usar os meios mais cruéis para imporem a sua vontade. Todos os governantes imperialistas estão unidos na visão de que devem dominar os povos e as nações do mundo. Mas o estabelecimento da hegemonia mundial dos EUA apenas pode querer dizer um novo realinhamento das relações mundiais de poder em que as outras grandes potências têm que ceder um maior controlo global à classe dominante dos EUA. Por isso, esta ofensiva liderada pelos EUA também resultou no aumento das tensões entre os próprios países imperialistas. Este conflito que se está a desenvolver traz oportunidades e perigos para a luta dos povos.

O Comité Organizador Provisório (Europa) do Movimento de Resistência Popular Mundial apela a todos os membros e apoiantes do MRPM, bem como às pessoas de todos os lugares, para que usem este aniversário como uma ocasião de fortalecimento e alargamento da resistência internacional à ofensiva liderada pelos EUA e para construírem um movimento que não só se oponha a esta cruzada dos nossos dias, mas que tenha como objectivo derrotá-la.

Norte, Sul, Este e Oeste – Unir as Lutas Populares!

MRPM/WPRM (Europa): www.wprm.org

Contacto: wprm@wprm.org

Fonte (em inglês): Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG), em aworldtowinns.co.uk ou no perfil facebook Awtw Nese