O seguinte comunicado foi distribuído no 1º de Maio pelo Círculo Revolucionário. Uma versão PDF está disponível aqui:


 

Contra a catástrofe social!

Combater este e futuros Governos da Troika!
Lutar por uma sociedade mais justa!


Os últimos anos da vida dos portugueses têm sido marcados pelas brutais medidas de austeridade impostas pelo governo e pelos seus mandantes da troika: reduções de pensões e salários, aumentos de impostos, ataque a direitos básicos, desmantelamento dos sistemas de educação, saúde, transportes, etc., num horrível furação sem fim à vista. Em paralelo, revelam-se cada vez mais escândalos de corrupção, numa cada vez maior apropriação de dinheiros públicos e privados por um pequeno punhado de pessoas em busca de enormes e rápidas formas ínvias de acumulação de capital.

Apesar da enorme resistência popular inicial, a brutal repressão às manifestações de protesto, as enormes ilusões nas instituições do estado burguês (parlamento, sistema judicial, etc.) e a falta de uma correcta visão do carácter explorador e injusto deste sistema e das suas instituições têm levado ao desânimo e à esperança em falsos messias libertadores e em decepções eleitorais.

Este tipo de medidas de austeridade é o mesmo que tem vindo a ser aplicadas há muito em muitos países europeus e do resto do mundo, sobretudo desde o início da gigantesca crise económica que tem afectado o sistema capitalista-imperialista mundial. Os alvos são sempre os sectores mais frágeis, pobres e oprimidos desses países, enquanto a riqueza produzida se vai concentrando cada vez mais num reduzido punhado de pessoas. Milhões de pessoas em todo o mundo sofrem desnecessariamente, lançados para o desemprego e a miséria e sendo-lhes retirados direitos básicos como a habitação, a saúde e o ensino.

Os principais partidos defensores do sistema, PS, PSD e CDS, que chamaram os seus amos do FMI e da União Europeia para supervisionarem essas medidas que eles seguem diligentemente, digladiam-se para espalharem ilusões, sobretudo eleitorais, na esperança de retirarem da rua a indignação e a fúria do povo com promessas de felicidade futura. Os partidos ditos de “esquerda”, como o PCP, o BE e uma miríade de outros que têm vindo a surgir para aproveitar o justo desencanto popular, também apostam tudo em reduzir às eleições a arena de luta, reforçando ilusões na capacidade do sistema para resolver a situação, enfraquecendo a consciência do povo e abafando a sua raiva.

Não podemos permitir que esta situação continue e é necessário mudar urgentemente de rumo na resistência popular e pensar na possibilidade de construção de uma sociedade sem estas injustiças, sem exploração, sem opressão e sem discriminações étnicas, de género e orientação sexual.

À medida que se torna cada vez mais claro para muitas pessoas o verdadeiro carácter deste sistema, é preciso proclamar que ele não tem nenhuma legitimidade: o sistema capitalista-imperialista foi criado para nos explorar, para a apropriação privada de uns poucos da maior parte da riqueza gerada colectivamente por todos nós. Não se pode esconder atrás das próximas farsas eleitorais em preparação e as suas leis, a sua moralidade, o seu modo de governar precisam de ser denunciadas e todo o sistema deve ser derrubado.

Podemos e temos de erguer um movimento que leve a luta contra todos estes crimes contra o povo a um nível mais elevado, que se una à luta em todo o mundo para acabar com isto. A sua natureza fundamental deste sistema, ao contrário do que diz alguma “esquerda”, não pode ser reformada. Temos de rejeitar programas que apenas prometem uma versão mais tolerável da mesma coisa.

Há muito que é hora de proclamar corajosamente a possibilidade e a necessidade urgente de uma sociedade radicalmente nova. Quando a fome e a miséria aumentam cruelmente, temos de agarrar o momento, agarrar a hora. Estas batalhas devem ser levadas a cabo com os olhos erguidos para a tarefa da construção de um movimento empenhado em se preparar para, de uma forma final e decisiva, para derrubar todo este sistema, preparar as mentes e as forças para uma verdadeira revolução.

CONTRA O TERRORISMO SOCIAL!
DEITAR PARA O LIXO TODOS OS ACORDOS COM A TROIKA!
RESISTÊNCIA POPULAR POR TODOS OS MEIOS NECESSÁRIOS!
CONSTRUIR UM MOVIMENTO POR UM MUNDO NOVO E MELHOR!

Círculo Revolucionário

1º de Maio de 2015

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
http://circulorevolucionario.blogspot.com