Irão, Comunicado n.º 7 do PCI(MLM):

Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 22 de Junho de 2009, aworldtowinns.co.uk

Publicamos de seguida excertos de um dos frequentes comunicados ao povo do Partido Comunista do Irão (Marxista-Leninista-Maoista), publicado na noite de 20 de Junho.

Esmagaremos o estado de emergência!

A intensidade da luta de hoje à noite nas ruas e vielas do centro de Teerão e o número de mulheres e homens que, com as suas vidas nas suas mãos, se mantiveram firmes nas linhas da frente e fizeram recuar as manadas armadas de arruaceiros violentos, não tem precedentes. Se alguém quiser ver quão fraco e desesperado está o regime, veja a única coisa em que ele pode confiar: as suas forças de segurança. Só nisso! As ilusões evaporaram-se. As astutas pregações religiosas e o mito do Imã Zaman [o messias xiita] já não conseguem enganar o povo em fúria. As mentiras da comunicação social nacional já não conseguem adormecer as massas. Pelo contrário, aumenta centenas de vezes a sua fúria e ódio. Por isso, a única coisa ao alcance da assassina quadrilha governante são as armas, os bastões, o gás lacrimogéneo, as cadeias e as manadas de forças de choque e da lei e da ordem, os basiji e finalmente o exército.

O brutal ataque desta tarde contra multidões dispersas mas numerosas não fizeram parar a manifestação – pelo contrário, propagou-a a outras zonas de Teerão. As unidades da Basij e da polícia de choque usaram a táctica de dividir a multidão em pequenos grupos e depois cercá-los e atacar cada grupo. A princípio funcionou, mas pouco depois as massas dispersas reagruparam-se nas ruas e vielas das zonas vizinhas, desta vez com um ânimo e métodos totalmente diferentes dos das manifestações das duas últimas semanas. Desta vez, as palavras de ordem visavam directamente a República Islâmica e o seu líder. Não houve muito espaço para “Deus é grande!”. Um jovem escreveu com um spray azul numa esquina: “Até o Xá ouviu o grito da minha revolução [e demitiu-se]! Jamaran [o quartel-general do Líder] está surdo!”...

Esta noite, de leste a oeste, de norte a sul de Teerão, há um estado de emergência. Esta noite, muitos olhos permanecerão abertos. Muita gente já está a pensar no amanhã, no caminho a seguir, nos métodos que devem ser usados para se fazer avançar a insurreição das massas e levá-la à vitória. Hoje, nos poucos momentos que se encontraram para discussão, falou-se da necessidade de uma greve geral alargada. Algumas pessoas disseram que nada se podia fazer sem armas. Uma coisa é clara: ainda temos um longo caminho a percorrer no que começámos. As pessoas devem preparar-se para os dias e meses à nossa frente, para permanecerem nas ruas de diferentes formas. As palavras de ordem da insurreição devem tornar-se mais claras e mais profundas e o nível de luta deve ser elevado para que possa levar à vitória.