Irão, Comunicado n.º 6 do PCI(MLM):

Do Serviço Noticioso Um Mundo A Ganhar (SNUMAG) de 22 de Junho de 2009, aworldtowinns.co.uk

Publicamos de seguida excertos do comunicado n.º 6 do Partido Comunista do Irão (Marxista-Leninista-Maoista), divulgado na manhã de 20 de Junho.

Cuidado! Mousavi não é vosso irmão e não está do vosso lado!

Estas palavras podem parecer incómodas para muitos de vós que estão envolvidos numa sangrenta batalha com o inimigo, mas abram os vossos olhos e ouvidos!

Mir Hossein Mousavi pediu-vos que “considerem os basiji vossos irmãos”. Isto quer dizer que devem considerar como vossos irmãos os que usaram facas e machetes nos corpos dos vossos mais queridos filhos e filhas. Mousavi disse-vos que “não considerem que o exército está contra vós”. Isto significa considerar como vossos amigos os que, às ordens de Khamenei, estão a tentar esmagar a vossa insurreição e a disparar contra os nossos jovens em muitos pontos do país.

Jovens, estejam alerta!

Mousavi alega que o que vos motivou foi “o genuíno apelo da revolução islâmica”. Isto é uma mentira descarada. Ele sabe muito bem que o que vos motivou foi um ardente desejo de mudar este mundo. É impossível mudar a actual ordem sem derrubar a República Islâmica.

Mousavi alegou que o que vos inspirou foi “a herança do visionário Imã [Khomeini]”. Também isto é uma mentira descarada. As primeiras medidas de Khomeini depois de tomar o poder foi esfaquear os rostos das mulheres, obrigá-las a cobrir as cabeças e retirar-lhes os seus direitos mais básicos. Ele enviou o exército para reprimir os povos do Curdistão, do Khuzistão e do Sahra Turquemeno. Foi isso que vos inspirou?

Rapazes e raparigas corajosos, tomem atenção às verdadeiras exigências de Mousavi!

Ele apela-vos “à revolução islâmica tal como ela era e à República Islâmica tal como deveria ser”. Ele diz-vos: “Vocês não estão contra o sistema da sagrada República Islâmica e das suas estruturas legais”. Ele diz-vos que vocês têm que procurar a reforma, “uma reforma com um regresso aos princípios puros da Revolução Islâmica...”

Olhem para esta sociedade que se afoga na corrupção, na destruição, na superstição, na negra ignorância religiosa, no vício da droga e na prostituição. São estes os frutos desses princípios puros. Princípios contra os quais vocês corajosamente se revoltaram.

Mousavi diz: “Muitos dos nossos problemas são consequência de mentiras”. Mas ele próprio está a mentir... Uma das grandes mentiras de Mousavi em 1981 foi caluniar a insurreição do Sarbedaran no Irão como tendo sido “inspirada pelo Xá”. A insurreição do Sarbedaran foi feita para derrubar a República Islâmica e salvar a revolução popular, mas foi derrotada. Isto são factos que todos vocês têm que conhecer.

Nestes dias decisivos, além de coragem e perseverança no campo de batalha, vocês têm que armar e fortalecer as vossas mentes com as verdades dos últimos 30 anos. Essas verdades iluminam o nosso caminho e fortalecem-nos ainda mais. Mousavi, com as suas pregações religiosas, quer entorpecer os vossos cérebros inquiridores. Se vocês souberam a verdade – que a disputa entre Mousavi, Rafsanjani e [o membro da oposição, Mehdi] Karoubi, por um lado, e Khamenei e Ahmadinejad por outro, é uma disputa entre duas quadrilhas mafiosas sequiosas de poder e de dinheiro e não tem nada a ver com os vossos interesses – então vocês podem encontrar a verdadeira via libertadora e ousar escalar até as alturas para a vossa libertação.

Jovens – lutem! Mas lutem com os olhos abertos e com objectivos elevados!

As marcas de Mousavi são o slogan “Deus é grande” e a cor verde [islâmica]. Muitos de vós pensam que esses símbolos são importantes para a vossa unidade. Mas eles são em primeiro lugar os símbolos da sociedade que Mousavi promete construir – nada mais que esta mesma República Islâmica, com reformas secundárias para a tornar mais forte.

É realmente esse o tipo de sociedade que vocês querem? Ela vale tanto sacrifício? Porque é que não fazemos sacrifícios por objectivos muito mais elevados e grandiosos? Porque é que não lutamos por uma sociedade e um futuro fundamentalmente diferentes? Uma sociedade livre de toda a opressão e exploração. Uma sociedade em que toda gente partilhe e coopere. Onde a igualdade das mulheres e dos homens seja um princípio fundamental e evidente. Onde sejam institucionalizadas as bonitas cenas de colaboração, ajuda mútua e consideração que estamos a testemunhar nas nossas batalhas comuns de hoje. Uma sociedade que se liberte do enfado e da estagnação e que seja sempre viva e activa.

Será que não deveríamos pensar nestas coisas e debate-las, mesmo a meio da batalha? De facto, é decisivo para o futuro da nossa insurreição saber que tipo de sociedade queremos e como podemos criá-la. Esta visão, perspectiva e compromisso devem ser amplamente ligados à vossa fúria e devemos lutar hoje contra este sistema fanático e fraudulento. Esta é a única forma de, nesta conjuntura histórica, se impedir que os nossos esforços se desperdicem e se impedir que confundamos amigos e inimigos.

Elevemos o nosso nível de consciência! E desencadeemos amplamente o debate entre as massas!

Formai células revolucionárias dos jovens mais avançados de cada bairro, fábrica e universidade para distribuírem amplamente comunicados, fazerem denúncias e aumentarem a consciência das massas e trazerem mais pessoas para as várias lutas militantes.